Open Projects

Circular Light Steel III

Project goal € 50.000,00
Coming Soon
3 yr

term

5.5%

a year

6 mth

grace period

monthly

instalment

B-

rating

simulate investment
business_in_transition

Business in transition

12. Responsible Consumption and Production

SDG 12. Responsible Consumption and Production

Recyclable light steel structure factory in Alentejo, Portugal.

Impact

Environmental:

  • Avoid the emission of 5.940 tons of CO2 a year, through the plantation of around 270.000 native trees – stone pines, cork tree and medronheiro;

  • Recover 600 ha of burnt area through the plantation and exploitation of the endogenous resources. Besides the trees that will be planted, the project includes the exploitation of a herd of goats, apiculture, and agriculture;

  • Preserve and promote wildlife and biodiversity. For example, through the preservation of small clusters of natural regeneration of native species, every time they exist.

Impact:

  • Full involvement of a community of more than 130 small owners, mainly elderly people;

  • Better economic conditions for the small owners through the income generated from selling the agro-forest products;

  • Local economic development, privileging local companies for the project development;

  • Generation of local jobs: estimations point to at least five new jobs right away and, on a second phase, ten. Besides this, there will always be the need to hire people for seasonal jobs (harvest).

Project Information

Over the last twenty years, Belver, a small town in the Alentejo region, in Portugal, was devastated by four fires (one in 2003, one in 2005 and two in 2017) that caused social, economic and environmental damage to the region. In 2017 alone, it is estimated that around 85% of the forest area in the town was burnt (around 5.400 ha).

After the fires in 2017, Terras de Guidintesta – Society for Rural Development, in partnership with Associação de Produtores Florestais da Freguesia de Belver (Association of the Forest Producers in Belver) started a project to reforest the area under its management (about 600ha, containing more than 1.600 rural buildings belonging to over 130 small land owners) with a more resilient and sustainable forest, both economically and environmentally.

This is how the project “Reforesting Belver” was born – with the goal to plant around 270 thousand trees. The first project requires a total investment of around 400 thousand euros, 75% of which will be financed by a straight grant PDR2020 (Programa de Desenvolvimento Rural da União Europeia). The promoter will cofinanced the remaining amount recurring to GoParity loans and the small owners’ own resources.

Given the fact that the plantations depend on the weather conditions (for example, it is only advisable to plant in October), the investment will be made throughout several years. For that reason, the loans on GoParity will be divided in several campaigns. The first occurred in January 2020, allowing to raise 50 thousand euros in less than 24 hours by 123 investors.

This amount has been used in clean-up actions (for example, to clean burnt trees) and to prepare the land for plantation. So far, 50 ha have been intervened.

The amount raised through this second campaign will be used to start the plantation, predicted to start in October, after some delays in the process due to the covid-19 outbreak. Native species will be privileged (mainly stone pines, but also cork tree and medronheiro).

Financial Viability

Besides the financing coming from Community Funds that will cover 75% of the total investment, most of the project is based on an agro-forestry model with productive goals and, hence, generating income. For example, the area prepared for the plantation of stone tree, will also be cultivated with crops to feed the livestock. Besides this, the promoter expects to explore the pine and medronho soon, shortening the time to harvest and, hence, fighting the idea that only the eucalyptus, a tree that has grown substantially in the area in the last decades, can be profitable in the short term. The funding by GoParity appears as a rolling fund for the Association to get the necessary amount to grant the start of the project execution.

Attached Documents

Coming Soon
3 yr

term

5.5%

a year

6 mth

grace period

monthly

instalment

B-

rating

business_in_transition

Business in transition

12. Responsible Consumption and Production

SDG 12. Responsible Consumption and Production

Recyclable light steel structure factory in Alentejo, Portugal.

simulate investment
Project goal € 50.000,00

Impact

Environmental:

  • Avoid the emission of 5.940 tons of CO2 a year, through the plantation of around 270.000 native trees – stone pines, cork tree and medronheiro;

  • Recover 600 ha of burnt area through the plantation and exploitation of the endogenous resources. Besides the trees that will be planted, the project includes the exploitation of a herd of goats, apiculture, and agriculture;

  • Preserve and promote wildlife and biodiversity. For example, through the preservation of small clusters of natural regeneration of native species, every time they exist.

Impact:

  • Full involvement of a community of more than 130 small owners, mainly elderly people;

  • Better economic conditions for the small owners through the income generated from selling the agro-forest products;

  • Local economic development, privileging local companies for the project development;

  • Generation of local jobs: estimations point to at least five new jobs right away and, on a second phase, ten. Besides this, there will always be the need to hire people for seasonal jobs (harvest).

Project Information

Over the last twenty years, Belver, a small town in the Alentejo region, in Portugal, was devastated by four fires (one in 2003, one in 2005 and two in 2017) that caused social, economic and environmental damage to the region. In 2017 alone, it is estimated that around 85% of the forest area in the town was burnt (around 5.400 ha).

After the fires in 2017, Terras de Guidintesta – Society for Rural Development, in partnership with Associação de Produtores Florestais da Freguesia de Belver (Association of the Forest Producers in Belver) started a project to reforest the area under its management (about 600ha, containing more than 1.600 rural buildings belonging to over 130 small land owners) with a more resilient and sustainable forest, both economically and environmentally.

This is how the project “Reforesting Belver” was born – with the goal to plant around 270 thousand trees. The first project requires a total investment of around 400 thousand euros, 75% of which will be financed by a straight grant PDR2020 (Programa de Desenvolvimento Rural da União Europeia). The promoter will cofinanced the remaining amount recurring to GoParity loans and the small owners’ own resources.

Given the fact that the plantations depend on the weather conditions (for example, it is only advisable to plant in October), the investment will be made throughout several years. For that reason, the loans on GoParity will be divided in several campaigns. The first occurred in January 2020, allowing to raise 50 thousand euros in less than 24 hours by 123 investors.

This amount has been used in clean-up actions (for example, to clean burnt trees) and to prepare the land for plantation. So far, 50 ha have been intervened.

The amount raised through this second campaign will be used to start the plantation, predicted to start in October, after some delays in the process due to the covid-19 outbreak. Native species will be privileged (mainly stone pines, but also cork tree and medronheiro).

Financial Viability

Besides the financing coming from Community Funds that will cover 75% of the total investment, most of the project is based on an agro-forestry model with productive goals and, hence, generating income. For example, the area prepared for the plantation of stone tree, will also be cultivated with crops to feed the livestock. Besides this, the promoter expects to explore the pine and medronho soon, shortening the time to harvest and, hence, fighting the idea that only the eucalyptus, a tree that has grown substantially in the area in the last decades, can be profitable in the short term. The funding by GoParity appears as a rolling fund for the Association to get the necessary amount to grant the start of the project execution.

Attached Documents

Aqualgae, S. Lda - Sucursal em Portugal

Microalgas, aquacultura e engenharia.

Active since
2011
Fiscal Country
Portugal
Operating in
Spain
Industry
Biotechnology
GoParity Loans
1
About Aqualgae, S. Lda - Sucursal em Portugal

A Aqualgae é uma empresa de engenharia e biotecnologia de microalgas com sede na Coruña (Espanha) e centro de fabricação dos seus equipamentos na sua Sucursal em Portugal localizada em Viana do Castelo.

No seu começo a empresa dedicava-se à construção de fotobiorreatores para a produção otimizada de microalgas, que são o alimento primário dos bivalves como as ameijoas, ostras, vieiras, conquilhas, e dos estados larvares de ouriços do mar, lapas e camarões. São também usados na produção de alimento vivo para larvas de peixes como o robalo, dourada ou pregado. As microalgas são a fonte primária dos ácidos gordos PUFA Ω3 e proteínas.

Com 10 anos de experiência no setor da aquacultura e microalgas, a missão da Aqualgae é agora inovar e melhorar a eficiência da indústria aquícola, nomeadamente dos sistemas de produção de microalgas, na implementação de soluções de automação, aumento de competitividade e produtividade, maior eficiência energética e consequente melhoria da sustentabilidade ambiental.

A empresa é composta por uma equipa multidisciplinar de 5 profissionais altamente qualificados em áreas que vão da engenharia mecânica à biologia e biotecnologia e centra a sua atividade na implementação de sistemas para aquacultura e microalgas, soluções de automação e desenvolvimento de plataformas de monitorização e controlo.

FF

Conscientes da importância de estar na vanguarda do conhecimento científico, a empresa está em constante colaboração com conceituados grupos de investigação europeus.

The Business Model

Atualmente, existe apenas uma empresa a nível mundial que fabrica os tubos de vidro borossilicato na Alemanha e que detém o monopólio do fornecimento. A Aqualgae decidiu fazer o investimento nesta fase por ter clientes em carteira com volume de negócio suficiente para introduzir este material, o que possibilitará ao promotor lançar este novo fotobiorreactor e manter stock dos componentes de fabricação. Adicionalmente, a Aqualgae é das poucas empresas na União Europeia especializadas na fabricação de fotobiorreactores para a produção de microalgas marinhas.

Aos clientes será dada a possibilidade de adquirir o equipamento ou optar pelo modalidade de pagamento por uso (renting)

Além da produção de fotobioerratores, a empresa presta serviços em áreas essenciais da aquacultura, como a automação de processos e sistemas, a instalação de equipamentos e sensores e o desenvolvimento de plataformas de monitorização e controlo.

Track Record

A Aqualgae foi fundada pelo Pedro Seixas, que é também o seu atual Gerente e Administrador. O Pedro tem quase 20 anos de experiência a trabalhar em aquacultura, tendo feito o seu Doutoramento em Biologia, Especialidade Aquacultura, pela Universidade de Santiago de Compostela em 2009.

Em 2011, fundou a Aqualgae em Espanha como empresa especializada no desenho e fabricação de fotobiorreactores para a produção otimizada de microalgas para aquacultura.

A empresa tem quatro sócios portugueses sendo o Pedro Seixas o Gerente e Administrador Único.

Nos últimos 5 anos, a Aqualgae centrou-se igualmente no desenvolvimento de produtos e serviços de engenharia para outras áreas essenciais da aquacultura, como a automação de processos e sistemas, instalações de equipamentos e sensores (filtração, bombas, U.V., sensores) e o desenvolvimento de plataformas de monitorização e controlo.

Atualmente, está a desenvolver um projeto de melhoria da sustentabilidade dos fotobioreatores que produz.

Promoter Rating: B-

simulate investment
Aqualgae, S. Lda - Sucursal em Portugal

Microalgas, aquacultura e engenharia.

Active since
2011
Fiscal Country
Portugal
Operating in
Spain
Industry
Biotechnology
GoParity Loans
1
About Aqualgae, S. Lda - Sucursal em Portugal

A Aqualgae é uma empresa de engenharia e biotecnologia de microalgas com sede na Coruña (Espanha) e centro de fabricação dos seus equipamentos na sua Sucursal em Portugal localizada em Viana do Castelo.

No seu começo a empresa dedicava-se à construção de fotobiorreatores para a produção otimizada de microalgas, que são o alimento primário dos bivalves como as ameijoas, ostras, vieiras, conquilhas, e dos estados larvares de ouriços do mar, lapas e camarões. São também usados na produção de alimento vivo para larvas de peixes como o robalo, dourada ou pregado. As microalgas são a fonte primária dos ácidos gordos PUFA Ω3 e proteínas.

Com 10 anos de experiência no setor da aquacultura e microalgas, a missão da Aqualgae é agora inovar e melhorar a eficiência da indústria aquícola, nomeadamente dos sistemas de produção de microalgas, na implementação de soluções de automação, aumento de competitividade e produtividade, maior eficiência energética e consequente melhoria da sustentabilidade ambiental.

A empresa é composta por uma equipa multidisciplinar de 5 profissionais altamente qualificados em áreas que vão da engenharia mecânica à biologia e biotecnologia e centra a sua atividade na implementação de sistemas para aquacultura e microalgas, soluções de automação e desenvolvimento de plataformas de monitorização e controlo.

FF

Conscientes da importância de estar na vanguarda do conhecimento científico, a empresa está em constante colaboração com conceituados grupos de investigação europeus.

simulate investment
The Business Model

Atualmente, existe apenas uma empresa a nível mundial que fabrica os tubos de vidro borossilicato na Alemanha e que detém o monopólio do fornecimento. A Aqualgae decidiu fazer o investimento nesta fase por ter clientes em carteira com volume de negócio suficiente para introduzir este material, o que possibilitará ao promotor lançar este novo fotobiorreactor e manter stock dos componentes de fabricação. Adicionalmente, a Aqualgae é das poucas empresas na União Europeia especializadas na fabricação de fotobiorreactores para a produção de microalgas marinhas.

Aos clientes será dada a possibilidade de adquirir o equipamento ou optar pelo modalidade de pagamento por uso (renting)

Além da produção de fotobioerratores, a empresa presta serviços em áreas essenciais da aquacultura, como a automação de processos e sistemas, a instalação de equipamentos e sensores e o desenvolvimento de plataformas de monitorização e controlo.

Track Record

A Aqualgae foi fundada pelo Pedro Seixas, que é também o seu atual Gerente e Administrador. O Pedro tem quase 20 anos de experiência a trabalhar em aquacultura, tendo feito o seu Doutoramento em Biologia, Especialidade Aquacultura, pela Universidade de Santiago de Compostela em 2009.

Em 2011, fundou a Aqualgae em Espanha como empresa especializada no desenho e fabricação de fotobiorreactores para a produção otimizada de microalgas para aquacultura.

A empresa tem quatro sócios portugueses sendo o Pedro Seixas o Gerente e Administrador Único.

Nos últimos 5 anos, a Aqualgae centrou-se igualmente no desenvolvimento de produtos e serviços de engenharia para outras áreas essenciais da aquacultura, como a automação de processos e sistemas, instalações de equipamentos e sensores (filtração, bombas, U.V., sensores) e o desenvolvimento de plataformas de monitorização e controlo.

Atualmente, está a desenvolver um projeto de melhoria da sustentabilidade dos fotobioreatores que produz.

Promoter Rating: B-

simulate investment
simulate investment